contato@comunicaceduc.com.br | (19) 98178-1924
A redação e a arte de argumentar

Olá aprendizes, tudo bem?

Você era uma criança capaz de convencer seus pais de que a culpa não era sua diante das brigas com o seu irmão ou irmã? Sempre conseguiu tudo o que queria pela sua enorme capacidade de argumentação? Se a sua resposta é afirmativa, isso significa que você tem uma grande ferramenta para escrever redações. Caso contrário, comece a desenvolver seu senso crítico e sua capacidade de convencer as pessoas.

A dissertação, cobrada com frequência nos mais famosos vestibulares e concursos públicos, traz a você uma enorme capacidade de argumentar sobre os temas mais polêmicos possíveis. Costumo dizer que, na maioria das vezes, é impossível definirmos um único lado e termos os argumentos perfeitos para convencer nossos leitores e até a nós mesmos. No entanto, a capacidade de argumentar elevará sua nota tanto quanto chamará a atenção daquele cansado corretor que passou o dia todo lendo os mesmos comentários acerca do tema proposto.

Primeiramente, saiba que nunca você convencerá um corintiano a virar palmeirense e vice-versa. Em segundo lugar, argumentar não é convencer! Uma boa argumentação é trazer elementos até então desprezados ou se quer questionados pelo seu interlocutor. Portanto, um bom argumentador enxerga oportunidades e aponta fatores positivos diante do seu ponto de vista. Isso não somente enriquece a sua produção, como também lhe dará um enorme prazer ao escrever.

Eis que surge a pergunta que você deve estar fazendo agora: “Mas como eu faço isso, professor? Como eu me torno um bom argumentador?”

A resposta é mais simples do que parece. Você já parou pra pensar no outro lado? Já analisou como seria por algum instante ter a necessidade de defender o outro ponto de vista? Pois é! Um grande erro cometido por quem escreve a redação é a intolerância, ou simplesmente levar para o lado pessoal o tema em debate. Para se tornar um bom argumentador você deve conhecer os dois lados da moeda, apontar por que faria e por que não faria tal coisa, por que concorda e por que não concorda com tal coisa. Ao tentar entender os dois lados será muito mais fácil reforçar o seu ponto de vista e minimizar qualquer contradição que você poderia encontrar no seu argumento.

Você vai se deparar com temas que em qualquer posicionamento haverá uma possível falha na motivação do seu argumento. Pense além, de forma objetiva e realista, é claro. Há pouco tempo me deparei com uma redação em que o aluno apontava ser a favor da pena de morte para quem cometeu crime hediondo. Veja que contraditório: o crime hediondo, considerado de elevada gravidade, ser punido justamente com aquilo que ele causa na maior parte de sua prática: a morte. Há quem diga que isso é justo, mas desafio você a me convencer desse ponto de vista desfazendo essa enorme contradição. Não acredito que seja impossível, mas é uma tarefa pra lá de complicada.

De qualquer forma, argumentar é uma arte que exige prática, conhecimento, bom senso e uma enorme capacidade de análise. Tente pensar além ... procure indicar caminhos não mostrados, soluções e alternativas capazes de minimizar grandes problemas ... e por favor, por favor mesmo, não caia na armadilha de agredir em vez de argumentar, afinal, mostrar-se superior ao outro apenas por minimizá-lo ou criticá-lo evidencia que estamos no mesmo barco, disputando quem falha menos.

Você tem dificuldade de argumentar? Que tal começar por você mesmo?

Saudações gramaticais e literárias.

Sobre o autor

Prof. Thiago Pinheiro

Thiago Pinheiro é Professor de Língua Portuguesa e Matemática, funcionário público, educador e fã assíduo das palavras bem escritas e interpretadas. Acredita que ensinar é a melhor maneira de aprender e criar novos caminhos para a realização dos sonhos. É um dos idealizadores do CEDUC, lugar em que o ensino é sinônimo de aprendizado.

Newsletter

Cadastre-se para receber uma mensagem sempre que novos conteúdos forem publicados